Institucional - LIV: Laboratório Inteligência de Vida

O LIV é um grande laboratório em que o experimento principal é a vida e o que há de mais belo nela: os sentimentos e os relacionamentos. O estudante, além de desenvolver o seu pensamento crítico, entende que, com a ajuda de outras pessoas, é possível ir mais longe e que errar faz parte do processo. Não há sentimentos bons ou ruins, todos são permitidos e compreendidos; o importante é saber lidar com eles. De acordo com o LIV, para sermos pessoas melhores basta um pouco de prática. É importante realçar que o LIV não é uma disciplina, com provas e tarefas, mas sim uma experiência que começa na escola e é levada para todos os âmbitos frequentados pelo estudante.

A educação socioemocional é um aspecto tão importante do processo ensino-aprendizagem que está presente em 6 das 10 competências gerais da BNCC – Base Nacional Comum Curricular, documento que define os conteúdos, competências e habilidades a serem desenvolvidas em cada ano letivo, sendo que todas as escolas brasileiras devem implementá-la em seus currículos até 2020. No Nacional as competências socioemocionais já fazem parte do currículo desde 2015. Elas estão intrinsecamente ligadas à formação do ser humano em todas as dimensões: acadêmica, cultural, social, ética e outras.

Entre os benefícios do LIV, estão:

  • Melhora no desempenho acadêmico;
  • Prevenção do bullying;
  • Auxílio na superação de desafios;
  • Estímulo à realização de escolhas responsáveis e saudáveis;
  • Diminuição nos índices de violência;
  • Redução da ansiedade e da depressão;
  • Promoção do trabalho em equipe;
  • Encorajamento do convívio com as diferenças;
  • Desenvolvimento do autocontrole, tolerância, empatia e flexibilidade.

 

O LIV, estruturado de acordo com as linguagens de cada faixa etária:

  • Trabalha as competências socioemocionais;
  • Aborda sentimentos e relacionamentos;
  • Fomenta a comunicação, a criatividade e a colaboração;
  • Desenvolve o pensamento crítico, a perseverança e a proatividade.

 

Na Educação Infantil, o foco é na Inteligência Emocional. É o momento em que as crianças têm a chance de nomear e reconhecer suas emoções. Elas são apresentadas a situações cotidianas por meio de histórias e músicas, que visam estabelecer e trabalhar com as cinco emoções básicas: medo, tristeza, alegria, raiva e amor, este último de extrema importância se levadas em conta as relações familiares.

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º) continua a caminhada pela mesma temática, porém, além do autoconhecimento, são trabalhados três temas importantes: a autorregulação, o relacionamento e a empatia. Este trabalho é realizado por livros exclusivos que, a cada capítulo, se aproximam mais da vivência dos estudantes, gerando identificação. Outros sentimentos mais complexos, como ciúme, frustração, animação e arrependimento também ganham os holofotes neste momento.

Já nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º), os estudantes trabalham as Habilidades Socioemocionais. É um momento de transição importante, uma vez que eles são apresentados a uma nova estrutura escolar, com vários professores e disciplinas. Sofrem cobranças em relação ao estudo formal e lidam com as mudanças corporais típicas da adolescência. O currículo desta fase é focado em seis habilidades principais: perseverança, criatividade, comunicação, proatividade, pensamento crítico e colaboração. Por meio de jogos, projetos e séries audiovisuais, os jovens desenvolvem questões importantes como as relações interpessoais e intrapessoais e a vivência de novos desafios característicos do século XXI.

Por fim, no Ensino Médio, o LIV é voltado para o protagonismo e para as escolhas que o estudante deve estar apto a fazer. A educação passa a ser o caminho para a obtenção do sucesso pessoal e profissional, o que acaba gerando uma série de angústias. Aqui, o jovem é provocado a refletir sobre suas escolhas e a entender quais impactos elas terão para si mesmo e para a sociedade.