Blog do Naça - Uberlândia – As pérolas do Cruzeiro

Texto de Luisa Costa Isaac – 2º Eta

No tão esperado cruzeiro, foram quatro dias de muita curtição com os amigos e, é claro, também surgiram muitas pérolas, rs. O tamanho do navio surpreendeu todo mundo; eu mesma me perdi várias vezes e tinha que acabar perguntando para alguém onde era o meu próprio quarto. Pouquíssimas pessoas da nossa sala já tinham feito um cruzeiro e, logo de início, tomamos um susto com a simulação de alguma emergência; tinha gente quase desmaiando de medo e no fim não era absolutamente nada.

IMG_1305

O restaurante nos fez morrer de rir, pois praticamente ninguém tinha costume de jantar em restaurantes cinco estrelas. Mal entramos no lugar e já começaram as pérolas. Ao sentar, muitos já estranharam os talheres, não sabiam onde colocar o guardanapo e, na hora de escolher os pratos, as diversas e estranhas opções foram motivo de risadas. Em um dos dias um grupo de pessoas pediu spaghetti e, para comê-lo, o garçom trouxe uma colher para auxiliar e facilitar a refeição. Teve aluno que disse: “Nossa, esse cara tá doido, trazendo colher para comer macarrão”. Mas o pior mesmo foi quando em uma das sobremesas veio com o sorvete um biscoito champagne e uma pessoa disse que amava aquele biscoito champignon. Não teve como segurar os risos!

O inglês no navio foi um problema, pois nem todos sabiam falar o idioma e sempre tinham alguns atiradinhos que, mesmo não sabendo se estava certo, falavam o que julgavam ser inglês. Encontramos outras pessoas também confusas, que pareciam não saber muito sobre o mapa do nosso país, embora falassem o mesmo idioma que nós. Conhecemos algumas meninas de São Paulo e, para nossa surpresa, quando nos apresentamos, elas acharam que Uberlândia ficava no exterior (?). Quando elas falaram isso, um colega soltou: “Sim, somos de Uberland”. Mas, fala sério, qual a chance de Uberlândia não ser no Brasil?? Hahaha.

IMG_1404

À noite era quando todo mundo ficava junto e a gente aproveitava demais! Sempre tinha festinha no quarto de alguém. O problema era quando passava da hora de estar no quarto e os guardinhas iam nos advertir. Era um desespero quando acontecia isso! Podia ter 20 pessoas dentro do quarto que cada um se escondia em algum lugar, debaixo da cama, no banheiro, no guarda roupa e a sempre, sempre nos achavam! Um dos guardinhas era da Filipinas e ele tinha muita cara de bravo. O mais engraçado era quando ele perguntava para os donos do quarto: “Tem mais gente ai dentro?” Todos respondiam que não, mas, do nada, saía alguma pessoa de algum esconderijo secreto e isso se repetia várias vezes, tadinho.

Toda noite tinha um karaokê e nossa turma sempre ia. E quando nos animávamos a cantar… nossa! Era cada um pior que o outro… É claro que tinha aqueles que cantavam melhor do que esperávamos, mas outros… esses tiveram muita coragem, e quanta hahaha. E aqueles dois menininhos? Quem diria que um deles era filho do ex jogador Edilson Capetinha?

Enfim, com certeza foi uma viagem inesquecível, e vamos nos lembrar de cada momento para sempre <3

O Cruzeiro

No ano passado, o Naça fez um convite desafiador para as turmas do 1º ano do Ensino Médio: a primeira turma a se matricular integralmente para o ano seguinte, ganharia um cruzeiro pelos litorais de Santos, Búzios e Ilha Bela. A turma contemplada com a viagem foi o 2º Eta. Quem nos conta as aventuras dessa jornada são os próprios alunos, nessa série de postagens aqui no site, na categoria “Blog do Naça”. 

Veja a galeria de fotos da viagem ;)