Blog do Naça - Intercâmbio Brasil-Portugal

Texto de Natália Faria

IMG_1476

João Paulo Mineiro (diretor da escola Quinta das Palmeiras), ao lado das professoras do departamento de Engenharia Civil e Arquitetura da UBI, Cristina Fael e Marisa Almeida.

Hoje (28), por intermédio do Colégio Nacional, a Prefeitura de Uberlândia recebeu, em coletiva de imprensa, representantes da Universidade da Beira Interior (UBI), da região portuguesa de Covilhã. A visita da comitiva portuguesa a Uberlândia teve como objetivo apresentar uma proposta de intercâmbio de estudos para a Europa, visando à captação e à mobilidade de estudantes para todas as carreiras de graduação e pós-graduação oferecidas pela UBI. A comitiva chegou à cidade na semana passada, quando apresentou a proposta a instituições públicas e privadas de Ensino Médio e Superior de Uberlândia.

No início da coletiva, João Canavilhas, vice-reitor da UBI, agradeceu os presentes pela hospitalidade e reforçou o empenho de Portugal em estreitar os laços com o Brasil por meio da educação, apresentando a proposta de intercâmbio que a  instituição oferece. Canavilhas lembrou, ainda, que essa relação pode representar uma rica oportunidade para o desenvolvimento de outros setores em ambos os países. A prefeitura foi receptiva ao encontro e demonstrou total apoio à parceria, parabenizando o Colégio Nacional pela iniciativa de trazer esta oportunidade para Uberlândia. 

Parceria: início e projeção para o futuro

IMG_1468

João Canavilhas, vice-reitor da UBI.

A parceria entre as cidades de Uberlândia e Covilhã já existe há cerca de 10 anos, por meio de um tratado de cooperação assinado por ambas as prefeituras, que certifica às localidades o status de cidades co-irmãs. O tratado nasceu da relação entre o Colégio Nacional, de Uberlândia, e a escola Quinta das Palmeiras, de Covilhã, que desenvolveram juntos, entre os anos de 2004 e 2008, o Projeto “Descobrindo”. O projeto consistia em um intercâmbio de curta duração, em que estudantes brasileiros de 1º e 2º anos do Ensino Médio passavam um período de 15 dias em Portugal e estudantes portugueses passavam o mesmo período no Brasil. “Nessa ocasião, o foco de trabalho era a língua portuguesa e as trocas culturais”, esclarece Thomé Caires, sócio-proprietário do Colégio Nacional. 

Ainda de acordo com Thomé, com esta nova possibilidade de trocas entre Brasil e Portugal, a intenção para o futuro é aprofundar essa relação, estendendo-a a outros setores além do educacional, como a cooperação econômica e de negócios, focada especialmente o mercado de startups e cloud computing que vem se consolidando em Uberlândia e que já é bastante desenvolvido em Portugal.