Notícias - Formação Continuada

IMG_8736Entre os dias 28 e 30 deste mês, consultores pedagógicos de diversas áreas e centros educacionais estiveram na unidade de Uberlândia do Colégio Nacional coordenando uma série de atividades de formação continuada com nossa equipe pedagógica. São atividades contínuas de reflexão, avaliação e proposição que têm como objetivo manter nosso projeto pedagógico renovado e nossa equipe de professores e coordenadores energizada e atualizada.

Para a consultora Eliane Gonçalves da Costa, um espaço como esse é fundamental para garantir a qualidade do corpo docente. “Todo o colégio, em especial um colégio como este, o Nacional, que tem essa preocupação em manter esses encontros, em manter o diálogo e organizar um currículo que é construído pelos educadores, é um espaço único, que investe na qualidade da educação”, afirma.

IMG_8743

A consultora Eliane da Costa acredita na importância de espaços de formação.

Eliane orienta a construção curricular do Ensino Fundamental na área de Língua Portuguesa no Colégio Nacional. Durante o encontro buscou, juntamente com os coordenadores da escola, levantar possibilidades para tornar o processo de aprendizagem mais rico e atrativo para os alunos. Sobre a importância da leitura e da escrita neste período escolar, ela diz:  “por que aprender língua portuguesa na escola? Porque quanto mais você domina as mais diversas formas como ela se apresenta, mais você tem poder de se expressão como indivíduo que lê o mundo e que também é lido pelo mundo.”

Miriam Grilo, especialista em alfabetização, reforça: “os espaços de formação são importantes para garantir que o aluno vá construindo, ao longo da sua escolaridade, essa competência que é a escrita, a fim de exercer sua cidadania com dignidade, de maneira plena, por meio da sua expressão.”

Agradecer e Humanizar

IMG_4260 - Cópia

A formação continuada deste mês de agosto foi encerrada com uma dança circular em que participaram professores e coordenadores de todas as unidades do Colégio Nacional. A dança circular é, historicamente, uma representação de diversas culturas para a gratidão pela vida.

A atividade está no programa da formação para reconectar os educadores com a humanidade e recordá-los da noção de coletivo. “O educador, como profissional, lida diretamente com seres humanos. Vamos todo mundo pra direita. Se um for pra esquerda, o círculo não gira. Se um for muito rápido e o outro for devagar, será preciso encontrar um equilíbrio para que o nosso passo entre em compasso”, explica Eliane.