Blog do Naça - Sexualidade é tema de discussões entre alunos do Ensino Médio

sexualideagostoO projeto “Sexualidade A Gosto” nasceu da necessidade de alinhar os diferentes discursos em torno do sexo e do exercício da sexualidade nas aulas de Biologia, Sociologia e Psicologia. Longe de estar restrito ao corpo humano como ensinado na Biologia tradicional, o sexo precisa ser entendido como algo construído social e culturalmente em resposta a inúmeras pressões que o cercam.

Nessa intenção, a professora de Biologia Luciana Nascimento Custódio, a professora Leandra Guerin de Sociologia e tutora das turmas de 1º ano do Ensino Médio Raphaela Cunha de Castro, se propuseram a pensar suas aulas e suas ações de maneira conjunta e alinhada, a fim de possibilitar uma visão mais holística do tema. Sexo, gênero, prazer, reprodução, mitos, medos, exercício da sexualidade, angustias, respeito, diferenças, afetos, cultura, direitos, família, foram temas que permearam os seus planejamentos.

Longe de impor uma nova verdade ou de desconstruir as certezas que os alunos têm em relação ao que são ou ao que desejam, a ideia é possibilitar o entendimento da multiplicidade e complexidade humana e as consequências sociais, econômicas, políticas e emocionais de um processo normatizador. Instigá-los a perceber como essa realidade é imersa numa lógica binária e heteronormativa, a qual estabelece de maneira intencional o certo e errado, o que ou quem deve ser aceito ou marginalizado.

Ainda, segundo a professora de Sociologia, Leandra Guerin, “o projeto tem como objetivo proporcionar debate e reflexão sobre a condição humana como resultado de uma construção sócio-cultural, no sentido que Simone de Beauvoir, feminista francesa, aplica: de que o ser e seus comportamentos são reflexos de um processo de aprendizagem, assim, não se nasce homem ou mulher, torna-se. Isso também serve de referência para compreensão dos variados fenômenos relacionada à vivência com o próprio corpo, identidade e sexualidade”.

Nesse 1º de setembro tivemos um encontro que possibilitou uma série de esclarecimentos teóricos e práticos a partir de uma roda de conversa com o pesquisador nas questões de gênero e corpo da UFU, Prof. Ms. Sandro e a ex-aluna, estudante de direito e militante do movimento LGBTII, a transexual Lila. Mediante os questionamentos das professoras e dos alunos, discutiu-se de forma democrática e respeitosa as diferenças, escolhas e sexualidades individuais.

Mas essa conversa não para por aqui. Desde o começo do mês de agosto, o tema vem sendo discutido nas salas de aula, e ainda há muito que se explorar: As aulas de Biologia ainda enveredarão por várias questões a respeito do sexo, do prazer, da reprodução sob essas novas perspectivas apresentadas durante as falas dos especialistas. E novos encontros de tutoria levantarão questões pessoais e familiares em torno do sexo. E claro, não poderia ser diferente, as questões em torno do corpo não se resumem ao biológico, está na nossa cultura, nas nossas escolhas, nos nossos lares, igrejas, e poderes públicos.

O Colégio Nacional se ocupa desse lugar, promovendo discussões e momentos de pensar e questionar o que nos é apresentado como ”verdade”, contribuindo diretamente para o respeito aos direitos e cidadania da pessoa para além de qualquer categoria.

Veja as imagens:

IMG_4211