Notícias - Estudante é vice campeã no Torneio Nacional de Xadrez

(Foto: Chessbase)

(Foto: Chessbase)

A estudante do 2º ano do Ensino Médio, Lesly Viviane Montufar Berrios, do 2ºEta,  foi medalhista de xadrez mais uma vez. A enxadrista participou do campeonato brasileiro, realizado em Itajaí (SC), e conquistou o vice-campeonato na modalidade até 16 anos, sendo a única mineira a figurar no ranking dos 40 melhores jogadores de sua categoria.

 
Confira a entrevista com Lesly:
 
Como você começou a jogar xadrez?
Eu comecei aos 08 anos, quando eu morava na Bahia. Na minha escola tinha aulas de xadrez à tarde e eu comecei a participar de campeonatos.
 
Foi de você que partiu a ideia ou de alguém da família?
Eu só queria jogar um jogo porque eu estava sem nada para fazer.
 
Você já participou de vários campeonatos; qual foi o resultado mais importante para você?
O Campeonato Sulamericano, em que eu fiquei em 3° lugar. Foi realizado na Bolívia e eu consegui o título de candidata-mestre. Foi muito importante porque eu joguei com os melhores dos outros países da América do Sul. Também joguei o panamericano; fiquei em 11°; não foi tão bom, mas foi a primeira vez que eu participei.
 
Quando você começou, você imaginava que iria tão longe ou era só para jogar um jogo mesmo?
Praticamente em toda cidade tem um clube de xadrez, mesmo que seja pequeno, e tem também professores. Comecei a aprender a jogar xadrez para competição. Comecei com o brasileiro e descobri o sulamericano e o mundial.
 
IMG_4586Como você se prepara para os torneios?
Eu jogo na internet, também vou para os clubes. Existem livros de xadrez pra estudar melhor e tenho um professor.
 
Dentro do mundo do xadrez, você tem algum ídolo?
O campeão mundial de xadrez. Todo mundo quer ser campeão mundial! Tem várias pessoas famosas neste meio, o Kasparov, por exemplo (Grande Mestre e ex-campeão mundial de xadrez, escritor e ativista político nascido no Azerbaijão. Considerado por muitos o maior enxadrista de todos os tempos) .
 
Você planeja seguir uma carreira profissional no xadrez?
Eu acho que seria bom tentar fazer uma carreira, mas também queria fazer uma universidade à parte.
 
Como você se sentiu ao ver que era a única mineira entre os 40 melhores da sua categoria?
Qualquer um podia ir, desde que tivesse 16 anos. São os melhores de cada estado que vão jogar lá. Eu fui a única de Minas Gerais porque acho que o xadrez não é tão divulgado no estado. É mais pro sul, em Santa Catarina, Paraná, que eles têm mais incentivo para o xadrez.