Notícias - 5 dicas literárias para as férias

IMG_0337As férias de julho estão aí. É tempo de viajar, descansar, dormir até tarde, assistir filmes, seriados, e, porque não, colocar a leitura em dia. Muitas pessoas acreditam que o livro é a maneira mais barata de se viajar sem sair do lugar, por meio deles, é possível conhecer novas realidades, adquirir conhecimento e melhorar o vocabulário. Pensando nisso, o professor Oliveira, de Literatura, sugeriu uma lista com 5 obras clássicas, eles são:

01
 
01) Ensaio sobre a Cegueira – José Saramago
A história gira em torno de uma epidemia de cegueira branca que afeta a sociedade e segrega os doentes em um manicômio. Genial como poucos, Saramago utiliza a doença como uma metáfora que faz com que o homem deixe o Contrato Social e se entregue ao Estado de Natureza. O próprio autor considera que escrevê-lo foi uma das mais intensas experiências de sua vida: “Este é um livro francamente terrível com o qual eu quero que o leitor sofra tanto como eu sofri ao escrevê-lo. Nele se descreve uma longa tortura. É um livro brutal e violento e é simultaneamente uma das experiências mais dolorosas da minha vida. São 300 páginas de constante aflição. Através da escrita, tentei dizer que não somos bons e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso”, afirmou. 
(Companhia das Letras | 310 páginas)
 
0202) A hora da Estrela – Clarice Lispector
Um romance que conta a história de Macabéa, uma garota do nordeste que se muda para o Rio de Janeiro e sente o choque cultural afetar sua vida. Ao mesmo tempo, conhecemos o narrador Rodrigo S.M., que, utilizando da metalinguística, discute sobre a arte de escrever enquanto conta a história da nordestina. 
(Rocco | 88 páginas)
 
0303) Anjo Negro – Nelson Rodrigues
Uma peça de Nelson Rodrigues que pode ser classificada como uma tragédia. Para quem está acostumado aos romances tradicionais, com narrador e descrições, esta obra pode ser um pouco mais difícil do que o normal, isto porque seu autor a escreveu para fins de interpretação teatral, logo, é formatado como um roteiro. Temas como violência, desejo e sexo estão presentes, mas a grande discussão está a cargo da questão racial. 
(Nova Fronteira | 112 páginas)
 
0404) Orgulho e Preconceito – Jane Austen
Jane Austen é uma das maiores autoras da literatura mundial, mesmo tendo escrito apenas 6 livros. Em “Orgulho e Preconceito” ela constroi um romance entre Elizabeth Bennett e o Sr. Darcy, um dos casais mais lembrados da literatura. Por meio desta relação, a autora discute questões de educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática inglesa em pleno século XIX. O livro já teve inúmeras adaptações para TV e cinema e segue encantando gerações com a descrição minuciosa da época feita por Austen.
(Martin Claret | 320 páginas)
 
0505) Macário – Álvares de Azevedo
Álvares de Azevedo chocou sua geração com suas obras diretas e cruas. Em “Macário” não é diferente, o autor traz uma história que oscila entre teatral, íntima e narrativa, ao contar a história de um jovem que viaja para a cidade grande e, no caminho, acaba fazendo amizade com ninguém menos do que o diabo em pessoa. O autor critica a moralidade de seus personagens e até mesmo da própria localidade, enquanto desafia o leitor a caminhar no limiar entre realidade e ilusão. 
(L&M Pocket | 127 páginas)