Notícias - Dicas para render mais nos estudos

IMG_7997Muitas pessoas acreditam que para passar no vestibular é necessário abrir mão de tudo. Descanso, alimentação, relacionamentos e até a própria saúde do estudante são fatores sacrificados na hora de se preparar para a tão temida prova. A realização de um bom trabalho psicológico para o vestibular é tão, ou mais, importante do que as horas dedicadas ao estudo.  As psicólogas Isis Graziele da Silva e Ana Caroline Dias da Silva orientam os estudantes a ter equilíbrio entre estudo e vida pessoal.

A primeira dica delas é organizar um horário possível de ser cumprido. Elas costumam fornecer um quadro horário aos alunos, que preenchem com os horários fixos (aulas, horários de exercícios, etc.) e, a partir daí, organizam para que todas as disciplinas estejam presentes nos momentos de estudo durante a semana. “Depende de cada aluno, eles fazem uma análise e separam as disciplinas em níveis de dificuldade, assim, podem intercalar matérias de modo que o estudo não fique exaustivo”, afirmou Isis.

IMG_7982Cada estudante tem o seu tempo, assim, por mais que seja recomendado fazer um intervalo entre os estudos, é importante respeitar as particularidades de cada indivíduo. Para alguns, 15 minutos são o bastante para refrescar a cabeça, para outros, não. Muitas pessoas têm facilidade em  estudar até tarde, enquanto outras precisam de dormir cedo. Não é obrigatório estudar todos os dias da semana e no sábado e domingo, esta escolha depende de cada um. O importante é saber dosar o estudo com as horas de descanso. 

Outra dica é se alimentar bem. “Quando o aluno não alimenta, acaba sem energia e não rende”, disse Isis. A psicóloga também  sugere que o estudante realize alguma atividade física. “Indicamos muito, principalmente pra quem tem dificuldade de atenção e memória porque isso vai dar mais energia na volta aos estudos, além de distração”, completou. Muitos pensam que devem abrir mão de tudo na hora de se preparar para o ENEM e os vestibulares. Uma coisa é certa, aqueles que abrem mão da companhia de pessoas que amam e se entregam a uma rotina de estudos excessiva acabam infelizes e, por consequência, não rendem.