Notícias - O que você pode aprender com os filmes do Oscar?

A cerimônia do Oscar, maior prêmio da indústria do cinema mundial, completa 90 edições neste domingo (04/03). O evento é famoso por reconhecer em 24 categorias os melhores filmes do ano, além de movimentar bilhões de dólares. Também reconhece que o cinema pode ser mais do que mero entretenimento, buscando dar voz a movimentos, minorias e temas que, em outras situações, não ganhariam espaço. Como em 2016, quando a hashtag #oscarsowhite tomou conta das redes sociais em repúdio à falta de representatividade negra entre as categorias principais, ou neste ano, que promete refletir sobre a questão dos assédios sexuais contra mulheres, que tiveram denúncias recordes em Hollywood.

Em um universo de 59 produções que batalham pela estatueta dourada – e pelas glórias que vêm com ela -, selecionamos cinco filmes que merecem a sua atenção por tratar de assuntos a serem discutidos em sala de aula ou que podem vir a ser temas de redação e questões de processos seletivos.

  • The Post: A Guerra Secreta

Dirigido por Steven Spielberg, o filme é um retrato baseado na história real de editores do jornal Washington Post, que após receberem documentos sigilosos do governo, se encontram frente a uma batalha judicial contra a Casa Branca. A Ética Jornalística é questionada quando os editores e até mesmo a dona do jornal, possuem uma relação muito próxima ao governo, o que poderia vir a prejudicar o papel de fiscal social a ser desenvolvido pelos meios de comunicação. Grande parte do roteiro busca entender os limites legais e morais da Liberdade de Imprensa e ainda há um breve retrato dos Estados Unidos na época da Guerra do Vietnã, revelando os traumas sociais que decorreram da mesma e como estes perduram até os dias atuais. 

  • Três anúncios para um crime

O filme conta a história de uma mulher que resolve colocar anúncios com frases provocativas às autoridades quando o assassinato de sua filha não é solucionado. Temas como racismo, violência doméstica, impunidade e abuso de autoridade ganham foco numa história que visa discutir sobre a impunidade social e suas consequências. É importante realçar que a dor da mãe ganha visibilidade e ferramentas que pressionam a polícia com a exposição midiática, trazendo à luz a ineficiência do sistema de justiça, tema universal a qualquer sociedade.

  • Corra!

Um homem negro viaja em um final de semana para conhecer os pais de sua namorada branca, mas estes não parecem estar satisfeitos com o relacionamento e iniciam uma cruzada contra o futuro genro. Com este terror psicológico, o diretor Jordan Peele discute sobre racismo em suas diferentes formas. O roteiro inspirado e a linguagem afiada, fizeram com que este filme ganhasse reconhecimento de público e crítica e injetasse um sopro de frescor no gênero.

  • Me chame pelo seu nome

Durante o verão de 1983, uma família vanguardista recebe Oliver, um estudante universitário que viaja à Itália para finalizar sua pesquisa. Sua proximidade com Elio, filho do professor, os leva a descobrir uma inesperada paixão entre eles. Tratando sobre temas como autoconhecimento, aceitação LGBT e intolerância, “Me chame pelo seu nome” é um romance sutil que, de quebra, fornece um retrato da Itália à época.

  • O Destino de uma Nação

Gary Oldman estrela este filme como Winston Churchill, recém escolhido primeiro ministro do Reino Unido, que deve resolver os problemas da 2ª Guerra Mundial, como a tentativa de dominação nazista impetrada por Adolf Hitler e a reconstrução do ideal nacional inglês frente a uma possível invasão. É um retrato histórico das decisões tomadas pelas autoridades frente à ameaça que se aproximava.