Notícias - Em constante movimento, o Colégio Nacional terá, em 2019, unidades exclusivas para cada nível de ensino.

Vem novidade por aí! Todo mundo já está sabendo que, em 2019, o Colégio Nacional será a única escola da região com unidades exclusivas para cada nível de ensino. As unidades Ibiporã e Uirapuru continuarão abrigando a Educação Infantil e o Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º ano), a unidade Av Araguari permanecerá com os cursos preparatórios e o Ensino Médio ficará por conta da já tradicional unidade México e da nova unidade Rondon II, localizada na Rondon Pacheco, ao lado da DPaschoal.

Uma das mudanças mais importantes ficou por conta da unidade Rondon I, no Copacabana. No próximo ano, o prédio será voltado exclusivamente ao Ensino Fundamental Anos Finais (6º ao 9º ano). Foi uma decisão consciente de nossa equipe pedagógica, uma vez que o Naça enxerga o espaço físico como um terceiro educador, que provoca, mobiliza e instiga os estudantes. Ter uma unidade destinada apenas a este nível de ensino aumenta, em muito, suas possibilidades educacionais. Mudanças estruturais também serão realizadas para continuar readequando o espaço às necessidades educacionais de nossos estudantes. A unidade Rondon I ganhará um Ginásio Poliesportivo para prática de futsal, basquete, vôlei, handebol e outras atividades físicas, reforçando o compromisso de valorização do esporte enquanto componente essencial para uma vida mais saudável.  

Todas as unidades do Colégio Nacional são planejadas respeitando o ser humano em sua respectiva fase de desenvolvimento, suas especificidades e colocando como prioridade, as necessidades de cada faixa etária. Segundo Cleide Cabral, Assessora Pedagógica, é preciso respeitar estas diferenças para um aprendizado mais completo. “Tudo tem seu tempo e este tempo precisa estar presente na cotidianidade dos estudantes. Com este olhar específico, possibilitamos ao indivíduo viver a infância, adolescer e depois, viver a adolescência de forma plena”, afirma a educadora.

É importante ressaltar que existem encontros entre as diferentes faixas etárias, sempre que necessário, em ações de aprendizagem e trabalhos coletivos, a exemplo de projetos como Ciência e Cidadania e Simuna.