Notícias - “Pé na Estrada” lança documentário sobre as vivências do projeto

Material foi organizado em quatro partes.

Estudantes do 2º ano do Colégio Nacional e seus familiares participaram ontem do lançamento do primeiro documentário do projeto “Pé na Estrada”. Vivências, depoimentos, brincadeiras e muitos aprendizados foram compartilhados no material, que rendeu 3 episódios de cerca de 30 minutos.

O projeto ocorre há 14 anos e propõe caminhadas transformadoras, que proporcionem aos estudantes novas perspectivas de mundo por meio de um aprendizado interdisciplinar e humanizado. Com o intuito de documentar as vivências históricas, os laços de amizades que se formaram ao longo dos anos e as descobertas dos estudantes, surgiu a ideia de transformar o material da viagem de 2019 em vídeo-documentário.

A ideia surgiu a partir dos professores Rafael Rocha e Miriane Dayrell, que integram o projeto. “É o registro do que tem acontecido em todos os anos, é a soma de todos os contatos e vivências. O documentário registra a importância desse trabalho na vida dos alunos, materializando na vida deles os conhecimentos teóricos e práticos”, disse Rafael. “São trabalhos de empatia, de aprender a seguir instruções para uma boa convivência coletiva, é cidadania”, complementou Miriane.

O roteiro do documentário foi construído em parceria com dois ex-alunos, Beatriz Palmer, que possui experiência em Cinema, e Matheus Capita, vídeo documentarista do SIMUNA.

Nos quase 100 minutos de material editado, acompanhamos os estudantes e a equipe de educadores por Paraty, pela Usina Nuclear de Angra dos Reis, pela Ilha Grande e passando pela vila turística Abraão até Vila Dois Rios, que abriga o Centro de Biologia da UERJ – Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Caminhando por trilhas da Mata Atlântica, passamos pelo mangue e a praia e conhecemos as ruínas do presídio de Ilha Grande, por onde passou Graciliano Ramos. Visitamos também a Fazenda Ponte Alta, refletindo sobre o passado escravocrata do nosso país, sobre liberdade, sobre a diversidade da população brasileira, sobre sustentabilidade e muitos outros temas.

Presente na exibição do documentário, Ari Pereira, pai de um dos alunos que participou da viagem, comentou sobre a ação. “As viagens que o Nacional faz são bem organizadas, dão segurança para a gente. E o documentário agora foi uma forma de acompanharmos melhor a experiência que nossos filhos passaram”. Seu filho, Ari Júnior, também auxiliou na produção do material, propondo a trilha sonora. “O sentimento é de muita gratidão à equipe de professores por organizarem todo esse projeto com a gente, sinto muito orgulho de ter participado e de ter proporcionado esse tipo de interação. É disso que a escola precisa para demonstrar que alunos e professores são pessoas e que essa relação pode ser de amizade”.

Um vídeo de introdução ao documentário de 7 minutos foi disponibilizado após a exibição de estreia e será colocado nas redes sociais do colégio. Em seguida, um episódio será liberado por semana também no site do Nacional.