Tem Jeito Sim

Nós acreditamos que Tem Jeito Sim!

 

O Colégio Nacional acredita que o caminho para um mundo melhor, com sociedades mais justas, pessoas felizes e comprometidas, precisa ser traçado pelo cuidado. Cuidar de si, cuidar do outro, cuidar deste lugar são valores que pautam toda a nossa prática pedagógica, bem como a postura que adotamos como instituição social. Por isso, realizamos e apoiamos ações sociais, buscando contribuir para o estímulo à autonomia, à cidadania e à liberdade de pensamento e expressão, nas seguintes vertentes:

 

 

Cidadão 

cidadaniaA formação de sujeitos participativos, capazes de viver e intervir com consciência na sociedade, de respeitar e valorizar a diversidade de formas de existir e de pensar, de avaliar as condições sociais e dimensionar sua participação histórica, de assumir seu papel social e agir com ética, autonomia e criatividade é o nosso grande propósito educativo. Por isso, todas as nossas práticas pedagógicas têm como plano de fundo a cidadania. A partir do comprometimento com os interesses sociais mais amplos, desenvolvemos ações e apoiamos projetos de caráter social e educativo e instituições sem fins lucrativos. Neste exercício, mais do que contribuir, acabamos aprendendo a viver, pela constante reflexão, reconstrução e aperfeiçoamento de nossas práticas.

 

 

 

Ambiental

meioambienteNunca se discutiu tanto a importância – e a urgência – do uso consciente dos recursos naturais. Além de pautar o tema de forma transversal por meio de projetos interdisciplinares e propositivos em nossas Unidades, nós procuramos também contribuir com a ampliação do alcance desta discussão por meio da intervenção direta na comunidade com campanhas educativas e do apoio a causas e instituições empenhadas em contribuir para a valorização de modos de vida integrados, que trabalhem com a natureza, e não contra ela. Nossas ações têm como guia a Carta da Terra, documento elaborado pela ONU a partir de discussões sobre a construção de uma sociedade justa, sustentável e pacífica.

 

 

 

Cultural 

culturaNo Colégio Nacional, nos comprometemos com a ampliação das vivências culturais de nossos alunos e colaboradores, proporcionando a todos o contato com as mais diversas linguagens e formas de expressão artísticas. Além disso, apoiamos projetos e eventos que promovam criações autorais e criativas, em variadas linguagens. Acreditamos que estimular a cultura é uma maneira de contribuir para a construção de uma sociedade mais consciente, criativa e sensível ao outro e ao mundo.

Ação da Cidadania

acao“A cultura apareceu para construir no campo arrasado, para levantar do chão tudo que foi deitado. O que importa é alimentar gente, educar gente, empregar gente. E descobrir e reinventar gente é a grande obra da cultura. Uma obra que será nossa.”

Herbert de Souza

O programa Ação da Cidadania foi idealizado pelo sociólogo Herbert de Souza, o “Betinho”, e nasceu em 1993, formando uma imensa rede de mobilização de alcance nacional para ajudar 32 milhões de brasileiros que, segundo dados do Ipea, estavam abaixo da linha da pobreza. O movimento partia de um conceito simples: solidariedade, todos nós podemos.

Criada no auge do Movimento pela Ética na Política, o Ação da Cidadania se transformou no movimento social mais reconhecido do Brasil. Seu principal eixo de atuação é uma extensa rede de mobilização formada por comitês locais da sociedade civil organizada, em sua maioria compostos por lideranças comunitárias, mas com participação de todos os setores sociais.

O Colégio Nacional disponibilizou seu espaço físico para a sede do Comitê de Mobilização da cidade de Uberlândia, do qual participou em parceria com um dos vários atores da sociedade. O comitê trabalhou para apoiar instituições e pessoas necessitadas por meio da arrecadação de alimentos, roupas e itens de higiene pessoal. Sua gestão, assim como toda a rede, era descentralizada, possibilitando um aprendizado fundamental sobre o trabalho colaborativo.

Hoje, 20 anos depois, a fase mais crítica da erradicação da fome no Brasil está encaminhada e o problema se transformou em política pública prioritária do governo federal. O Ação da Cidadania ainda realiza projetos e parte para a ampliação de sua atuação em direção à garantia dos Direitos Humanos. O recente movimento nas ruas de milhares de cidades do Brasil indica claramente que a população tem muitas formas de fome.

Acesse www.acaodacidadania.com.br e conheça o trabalho.

Vista Essa Causa

shows_1997_Ira1-401x266Na década de 90, os vestibulares da Universidade Federal de Uberlândia – UFU atraiam uma multidão de jovens dos quatro cantos do Brasil. Aproveitando esta concentração como uma ótima forma de tocar as pessoas, o Colégio Nacional criou o projeto Vista essa causa, que convidou as pessoas a refletir sobre um problema que, lamentavelmente, assolava o país naquele momento: a Aids.

Para chamar a atenção, falamos a língua dos alunos. Promovemos grandes shows gratuitos, em que integrantes de bandas consagradas do rock nacional, como Pato Fu, Skank e Biquíni Cavadão, e de bandas locais que ganhavam projeção, como Tâmisa e Cabaret, vestiram a causa e contribuíram para a distribuição de preservativos.

Além desta ação de educação informal, promovemos projetos interdisciplinares a partir da leitura e ampla discussão sobre os livros Só as mães são felizes, de Lucinha Araújo – mãe de Cazuza, e Depois daquela viagem, de Valéria Polizzi, com quem nossos alunos das cidades de Uberlândia e Araguari, cidades em que atuávamos até então, tiveram a oportunidade de trocar experiências em um encontro nas Unidades.

Trocando Figurinhas

trocandoO projeto Trocando Figurinhas é um espaço de formação criado pelo Núcleo Pedagógico do Colégio Nacional com o objetivo de propiciar a troca de informações e experiências entre os educadores das redes públicas e privadas. Numa ação cidadã, busca um diálogo entre estes profissionais, apoiando a formação continuada.

A ideia surgiu da necessidade de formação de uma equipe parceira que discutisse as questões educacionais de forma madura, em sintonia com o processo que estamos construindo. Trouxe à luz a necessidade de socialização das teorias e das práticas educativas, corroborando para um sistema educacional mais democrático, unificado e coeso para a cidade.

As edições têm nos permitido a qualificação de educadores da cidade de Uberlândia e região, por meio de uma intensificação do intercâmbio de experiências, que permite a todos uma análise profunda sobre concepções e práticas, criando um espaço de comunhão que colabora para que possamos encontrar caminhos próprios, adequados as singulares da nossa realidade. 

Existe Escolha

Banner face-02“Não serei o poeta de um mundo caduco.

Também não cantarei o mundo futuro.

Estou preso à vida e olho meus companheiros.

Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.

Entre eles, considero a enorme realidade.

O presente é tão grande, não nos afastemos.

Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.”

(Carlos Drummond de Andrade)

 

Em 2013, a propósito das manifestações de junho, quando os cidadãos brasileiros tomaram as ruas de todo o pais em busca de melhores condições de viver, o Colégio Nacional lançou um projeto guardado há anos: o Existe Escolha. Tinha chegado a hora de discutir mobilidade urbana e de se posicionar sobre as condições de deslocamento que as cidade brasileiras oferecem.

Com carros por todos os lados, as cidades estão paradas rumo ao caos. Todos os dias, horas e mais horas são gastas em centenas de quilômetros engarrafados de gente impaciente e cheia de estresse. Para tanto, o Colégio Nacional se inspirou em um vídeo produzido pelo estúdio de criação Folia dos Reis, de Uberlândia, e criou uma ação de marketing educativo, que levou a discussão para o projeto “Eu sou do Bem”, que produziu um show do Jorge Bem em Uberlândia, espaço que ocupamos por meio da distribuição de uma cartilha educativa e do sorteio de uma bike, buscando ajudar as pessoas a mudarem o mundo a partir de pequenos gestos.

Escolha saúde, escolha alegria, escolha felicidade, escolha bicicleta, escolha vida. Para ir pertinho, deixe o carro na garagem e opte pela caminhada. Andar a pé é uma ótima pedida para vivenciar a cidade de outros ângulos. Para deslocamentos mais extensos, as possibilidades são várias: da bicicleta ao ônibus, passando pela carona. Ao diminuir o uso do carro, você faz um bem danado às pessoas e à cidade!

Pequenas Ações Agora

Garota ponto de ônibus… geram grandes impactos no futuro

 

“O que é que se encontra no início? O jardim ou o jardineiro? É o jardineiro. Havendo um jardineiro, mais cedo ou mais tarde um jardim aparecerá. Mas, havendo um jardim sem jardineiro, mais cedo ou mais tarde ele desaparecerá. O que é um jardineiro? Uma pessoa cujo pensamento está cheio de jardins. O que faz um jardim são os pensamentos do jardineiro. O que faz um povo são os pensamentos daqueles que o compõem.” (Rubem Alves)

 

A iniciativa Pequenas ações agora foi criada em 2013 em razão ao Dia Mundial do Meio Ambiente e acabou se desdobrando em um projeto que busca instigar e estimular a população a reconhecer a importância que os comportamentos individuais têm para a coletividade, por meio de intervenções poéticas.

A primeira ação, na verdade, se desdobrou em duas complementares: uma série de intervenções urbanas produzidas na cidade de Uberlândia – MG e nas unidades da rede Colégio Nacional. A ideia era colocar, estrategicamente, em locais públicos e nas unidades do Colégio Nacional mudas de árvore com um convite para que as pessoas preservassem aquele local (Cuide deste lugar), plantando uma árvore. Alunos, colaboradores e moradores da cidade podiam escolher ganhar ou não este presente.

A segunda ação foi produzir um vídeo que mostrava a reação e o comportamento das pessoas diante das mudinhas. Entre vários casos, encontramos uma garota que chamou atenção. Ela encontrou nosso presente em uma praça central de Uberlândia e, apesar de todas as dificuldades, ao se ver naquela situação, ela sentiu que sua missão era plantar aquela pequena árvore. Este comportamento nos inspira e reforça nossa crença nos atos simples como uma semente para comportamentos mais comprometidos e cidades mais verdes e felizes.

Econaça

eco2O Colégio Nacional criou o Projeto Econaça, ou Programa de Sustentabilidade, para colocar em prática ações que diminuam o impacto ambiental provocado pelas ações homem, começando pelo cuidado com o ambiente escolar e de trabalho. O Econaça pretende trabalhar, por meio da Educação informal, a formação de nossos alunos, colaboradores e famílias, para que possam levar, para além dos muros da escola, condutas que expressem a importância de cada indivíduo para o equilíbrio dos espaços em que vivemos e a gestão dos recursos naturais.

 O Econaça se concretiza por meio de um Plano de Gestão de Resíduos, que incentiva o descarte consciente de resíduos e recicláveis. O projeto estimula a coleta seletiva, alertando para a importância de se dar o devido destino a materiais como lâmpadas fluorescentes queimadas, pilhas, restos de óleo de cozinha, entre outros, por meio de intervenções, publicações e performances artísticas. O Colégio Nacional de Uberlândia é, inclusive, ponto de coleta destes resíduos. Outro objetivo do programa é o consumo consciente, que tematiza por meio de esclarecimentos e dinâmicas sobre o cuidado com os recursos essenciais ao nosso dia a dia, como a água e a energia.