Apresentação

Caros estudantes,                                                                                                                                     

embaixadores, Chefes de Estado, jornalistas, staffs e demais participantes,

 

Mais uma vez tenho a honra de convidá-los para uma edição da SIMUNA, a Simulação de Relações Internacionais do Colégio Nacional. Um evento que, somando uma experiência de mais de sete anos, caminha em 2015 para sua 9º edição, que se realizará entre os dias 19 e 22 de maio.

A SIMUNA é, em primeiro lugar, um modelo que reúne vários comitês das Nações Unidas e agências de comunicação e que pretende servir de fórum para estudantes interessados em assumir papéis diferentes daqueles que desempenham normalmente. Isto significa que, durante alguns dias, as dependências de nossa escola, o Colégio Nacional de Uberlândia, se abrem e se transformam para receber “jornalistas, diretores de mesa, secretários, militantes de organizações não governamentais convidadas, além, é claro, dos diplomatas e Chefes de Estado” responsáveis por debater algumas das principais questões que preocupam o nosso tempo.

Sendo assim, a SIMUNA é uma simulação, na medida em que reduz a uma pequena escala um projeto e uma situação real de ambiente diplomático formal, certamente incomum para os jovens que se dispõe a experimentá-lo. Experimentando, estes jovens aprendem mais do que imaginavam, desenvolvem habilidades que muitas vezes precisariam de um tempo maior para ser conquistadas; interagem com termos complexos, procedimentos, opiniões divergentes e aprendem um pouco mais sobre a difícil tarefa de argumentar e construir consensos em espaços divididos. Afinal, não era por leviandade, mas sim por consciência que os antigos gregos e chineses valorizavam tanto o poder transformador da oratória.

Mas a SIMUNA também é mais do que uma simulação. É uma realidade de nossa escola, um projeto com o qual temos o maior carinho, seja porque é um prazer inestimável ver pessoas tão jovens procurando soluções para a fome, a proliferação de armamentos, a violência contra as mulheres, o extremismo político e religioso, os impasses territoriais, ambientais, as guerras e crises humanitárias. Ou ainda, seja porque muitos dos estudantes que participam durante os dias do evento tornam-se comprometidos nos anos seguintes, e provavelmente por toda uma vida, com questões tão relevantes. E esta é, sem dúvida, a razão principal para continuarmos realizando este evento e ao mesmo tempo convidar os estudantes a participarem dele.

 

E quais serão os temas e comitês deste ano?

 

Em 2016, a SIMUNA oferecerá cinco comitês. Destes, três constituem parte do sistema das Nações Unidas, tendo como agenda questões atuais e ainda desafiadoras para a comunidade internacional. São eles:

O Conselho de Segurança (CSNU), no qual será debatida uma estratégia para a erradicação do Estado Islâmico no Iraque e na Síria; o Conselho de Direitos Humanos (UNHRC), que se dedicará à construção da tolerância política e religiosa em meio a expansão do terror; por fim, O Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados (ACNUR) vai buscar, por meio do debate, uma resposta abrangente para a Crise Global Humanitária de refugiados.

 Além destes, a SIMUNA disponibilizará mais uma vez um comitê histórico: 13 dias de angústia: A crise dos mísseis de 1962, fato que ocorreu em Cuba durante a Guerra fria e quase deflagrou a terceira guerra mundial .

Paralelamente a todos estes comitês, nos bastidores, espalhados pelas salas de discussão, os estudantes-participantes que assim optarem, poderão representar a Imprensa, acompanhando e reproduzindo em tempo real as decisões e o complexo jogo de interesses inerente aos encontros internacionais.

Diante de tudo isto, é uma honra mais uma vez reiterar os motivos desta breve mensagem, convidando-os a participarem da 9º edição da Simulação de Relações Internacionais do Colégio Nacional. Esperamos a participação de todos com o carinho e o cuidado de quem faz um trabalho decente, bem intencionado e voltado para uma educação diferente.

A SIMUNA não existe sem os estudantes, os visitantes e todos os demais colaboradores que escolhem comprar esta ideia. Uma ideia que, desde o primeiro evento, nasceu grandiosa em valores e princípios.

Cordialmente,                             

Délcio Garcia Gomes                                                                                                                                   

Professor de História e conselheiro da IX Simulação de Relações Internacionais do Colégio Nacional