Tem jeito sim - Geração Solar

Banner 650-300 - TEM JEITO SIM Geracao SolarDiariamente, toneladas de energia chegam ao nosso planeta de forma gratuita e limpa. Além de trazerem a luz e o calor essenciais para a vida na Terra, os raios solares podem ser aproveitados para a geração de eletricidade. Em 2013, o Colégio Nacional foi uma das primeiras escolas do Brasil a gerar energia elétrica a partir da captação dos raios solares.

Por intermédio do nosso ex-aluno, Gustavo Malagolli, conhecemos a tecnologia, que consiste na produção de corrente elétrica a partir da captação da irradiação solar por meio de placas fotovoltaicas – modelo ainda novo por aqui, mas já consolidado na Europa e Japão – e abraçamos o projeto.

Ainda em 2013, integrantes brasileiros do Greenpeace, organização global voltada para a proteção do meio ambiente, estiveram em Uberlândia para conhecer o sistema de energia alternativa adotado pelo Colégio Nacional, a fim de divulgar e incentivar novas instalações semelhantes no país.

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=ePTetLyAnao

Ao contrário da geração hidrelétrica, considerada limpa, mas que tem um imenso impacto social e ambiental para a vida das comunidades e espécies ribeirinhas, a geração solar é uma tecnologia que não se utiliza nenhum combustível fóssil, mas de uma fonte de energia renovável que contribui para a redução de gás carbônico na atmosfera.

No Brasil, apesar do enorme potencial, a geração fotovoltaica ainda está em fase de implantação e não tem perspectiva de retorno econômico no curto e médio prazo. Os custos associados aos painéis solares são muito caros e não justificam o investimento, economicamente.

No Colégio Nacional, a decisão de investir em solar foi motivada pelo caráter efetivamente sustentável da tecnologia e na possibilidade de podermos utilizá-la como recurso para educação ambiental. “O Colégio Nacional está dando o seu primeiro passo, conhecendo a tecnologia, e nos ajudando a dar um passo enorme”, afirma Gustavo Malagoli, idealizador do projeto 50 telhados, que prevê a instalação de 50 sistemas de geração no estado de Minas Gerais.